Placa de Petri: a história por trás do item inovador que revolucionou a microbiologia

0
155

Mesmo quem trabalha completamente fora da área de biológicas ou da saúde, quando vê aquele recipiente circular e transparente, logo faz uma associação à laboratórios, bactérias e ciência. Afinal, a placa de Petri é utilizada em infinitas áreas de importância global como o diagnóstico de várias doenças, o controle de qualidade de alimentos,  medicamentos e cosméticos, a descoberta de novas drogas, o estudo do mecanismo de ação de fármacos, o melhoramento genético, entre tantas outras aplicações.
No entanto, nem todos conhecem a história por trás desse produto tão difundido no mundo todo. Antigamente, a cultura bacteriana era feita em tubos de vidro inclinados.

Foi então que o microbiologista Robert Koch teve a ideia de associar placas de vidro, um sistema que chamou de “câmara úmida”. Um tempo depois, seu assistente Julius Petri quis aprimorar o modelo de seu mentor e utilizou duas placas de vidro com diâmetros diferentes para que se encaixassem. Assim, Petri conseguiu reduzir as contaminações e melhorar a troca gasosa do sistema anterior, publicando seus achados em 1887. Dessa maneira, apesar de vários outros cientistas do mesmo período reivindicarem a autoria pela criação desse sistema de cultivo, as placas de vidro circulares ficaram mundialmente conhecidas como Placas de Petri.

E, então, como surgiram as placas de Petri descartáveis? Ah, isso é com a gente! Há quase 60 anos, a Greiner foi a pioneira na fabricação de placas de Petri de plástico, o que tornou a vida dos microbiologistas muito mais fácil e segura tanto em termos de confiabilidade de resultados quanto para sua manipulação, armazenamento e descarte.

Atualmente, as placas de Petri Greiner Bio-One são as mais leves do mercado o que, além de empregar uma menor quantidade de matéria prima em sua produção, gera muito menos resíduo. Isso é bom tanto para o ambiente quanto para o cliente que se beneficia com a redução do custo de descontaminação de resíduos. Com suas medidas padrão de 90x15mm, as placas de Petri são fabricadas em poliestireno de altíssima qualidade o que resulta em excelente transparência ótica e planaridade. Seu design permite tanto a troca gasosa eficiente quanto o empilhamento seguro, além de ser compatível com os principais equipamentos automatizados disponíveis no mercado. E, para fechar com chave de ouro a lista de qualidades dessa estrela, nossas placas de Petri são esterilizadas por radiação ionizante do tipo E-Beam, um processo no qual o produto fica exposto por menos tempo, não deixa resíduos, evita efeitos de envelhecimento do poliestireno e é considerado mais sustentável que outras técnicas. Mais um ponto para o meio ambiente e para a segurança!

Fonte: NEWSLAB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


CAPTCHA Image
Reload Image