O tipo sanguíneo está associado ao risco de COVID19?

O tipo sanguíneo está associado ao risco de COVID-19?

0
494

Um novo estudo preliminar encontrou correlações entre o tipo sanguíneo e a probabilidade de ser hospitalizado com o COVID-19. Segundo os autores, pessoas com sangue tipo A podem estar mais em risco do que aquelas com outros tipos sanguíneos.

Um novo estudo preliminar pergunta se o tipo sanguíneo pode ajudar a prever o risco de COVID-19.

Pesquisadores da Universidade de Ciência e Tecnologia do Sul, em Shenzhen, China – em colaboração com colegas de outras instituições chinesas – realizaram recentemente um estudo avaliando a potencial relação entre tipo sanguíneo e hospitalização devido à infecção por SARS-CoV-2.

Seu estudo é preliminar e ainda não foi publicado em uma revista revisada por pares, o que significa que outros especialistas ainda não tiveram a chance de avaliar a metodologia e os resultados dos pesquisadores.

No entanto, eles disponibilizaram seu trabalho de estudo on-line na forma de pré-impressão.

O grupo sanguíneo A é o mais atingido?

Os pesquisadores analisaram a distribuição de grupos sanguíneos entre 2.173 indivíduos internados em hospitais com COVID-19, a doença causada pelo novo coronavírus. As pessoas receberam atendimento em um dos três hospitais de Wuhan, China ou Shenzhen.

A equipe então comparou a distribuição do grupo sanguíneo dos pacientes com a de um grupo representativo da população em geral – totalizando 3.694 pessoas – em Wuhan.

Os pesquisadores descobriram que a proporção de pessoas com sangue tipo A foi significativamente maior no grupo hospitalizado com COVID-19 do que na população em geral.

Eles também descobriram que a proporção de pessoas com sangue tipo O era significativamente menor no grupo com COVID-19 do que na população em geral.

Com base nessas descobertas, o co-primeiro autor do estudo Jiao Zhao e colegas relatam que “as pessoas com o grupo sanguíneo A têm um risco significativamente maior de adquirir COVID-19, em comparação com os grupos sanguíneos não-A, enquanto o grupo sanguíneo O tem um risco significativamente menor. para a infecção, em comparação com grupos sanguíneos que não são O “.

É importante ressaltar, no entanto, que os pesquisadores se referem ao risco de precisar de hospitalização por causa do COVID-19, e não ao risco de contrair o vírus que pode levar à doença.

Isso ocorre porque a equipe analisou apenas os dados de indivíduos cujos sintomas eram graves o suficiente para exigir hospitalização, não aqueles com sintomas leves que respondiam ao atendimento domiciliar.

‘Conclusão pode ser pura coincidência’

Mas isso realmente significa que as pessoas com sangue tipo A aumentaram a preocupação, enquanto as pessoas com tipo O podem exalar em alívio?

Especialistas não envolvidos na pesquisa comentaram os resultados, explicando que o estudo não demonstra uma relação causal entre o tipo sanguíneo e a suscetibilidade de ser hospitalizado com o COVID-19.

Sakthi Vaiyapuri, Ph.D., professor associado de farmacologia cardiovascular e de veneno da Universidade de Reading, no Reino Unido, enfatiza que pessoas com sangue tipo A não devem se preocupar por causa dos resultados deste estudo preliminar.

“Há pouca evidência para comprovar qualquer alegação de que [exista] mais do que uma correlação coincidente entre o grupo sanguíneo ABO e a suscetibilidade de contrair COVID-19”, diz ele.

“Existem muitos parâmetros que questionam a credibilidade das reivindicações [dos pesquisadores], que – pior ainda – não são mencionadas em um estudo de pré-impressão não revisado por pares”, adverte Vaiyapuri.

“Sem estabelecer vínculos causais entre [o coronavírus] e os antígenos do grupo sanguíneo ABO, é difícil entender essa conclusão, que pode ser pura coincidência. É importante ressaltar que as pessoas não devem entrar em pânico com esses resultados, pois, claramente, são necessárias mais pesquisas científicas para fundamentar essas alegações. “

– Sakthi Vaiyapuri, Ph.D.

Além disso, o estudo atual, que incluiu dados apenas de populações muito específicas da China, não levou em consideração alguns fatores de confusão, como a distribuição de grupos sanguíneos por país.

No entanto, se pesquisas adicionais confirmarem as descobertas do estudo, elas poderão ajudar os profissionais médicos a identificar pessoas com maior risco de necessidade de hospitalização devido à infecção pelo novo vírus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


CAPTCHA Image
Reload Image