Obstrução Arterial: Conheça 4 indícios de desenvolver a doença

0
295

Um dos principais objetivos dos médicos, atualmente, é prevenir a obstrução das artérias dos pacientes — entretanto, o diagnóstico precoce é a segunda maior meta, pois é baseado nele que o médico consegue propor alterações no estilo de vida do indivíduo e tratar visando retardar ou inibir a ocorrência de infartos no miocárdio.

Diante deste cenário, é necessário reconhecer alguns indícios correlacionados a doença cardíaca que podem passar despercebidos. Aqui estão quatro destes sinais:

1- Calvície

Envolvendo quase 37 mil homens, um novo estudo correlacionou a calvície completa no alto da cabeça, em qualquer idade, como forte previsor da manifestação de doença arterial coronariana. Outra pesquisa com mais de 7 mil voluntários — entre os quais mais de 4 mil eram mulheres —, a presença de calvíce moderada a grave aumentou em duas vezes o risco de morte por disfunção cardíaca nos dois sexos.

2- Ruga na orelha

Esse é um dos sinais mais peculiares relacionados a desenvolvimento de doenças arteriais. A formação de uma ruga no lóbulo na orelha — mais específico, uma ruga declina que decresce na diagonal do canal auricular até a borda inferior do lóbulo — foi citada durante décadas em relatórios de pesquisas médicas como indicador de doença arterial coronariana silenciosa, como possível resultado de má circulação inclusive das artérias do coração. Apesar de alguns profissionais da área argumentarem que as rugas seriam apenas sinais comuns de envelhecimento, através de tomografias sofisticadas para mensurar doença arterial coronariana silenciosa, pesquisadores constataram — em 2016 —  que esta formação possibilita antever a doença mesmo após descontados vários fatores de risco, tais como tabagismo e envelhecimento.

3- Disfunção Erétil

Nos homens o estorvo ou impedimento de ereção pode ser um indicador de obstrução das artérias de pelve que antecede um infarto do miocárdio, funcionando como uma espécie de alarme contra a doença coronariana silenciosa. Na média, sucedem de três a cinco anos entre o início da disfunção erétil e o diagnóstico da doença coronariana. O que dá tempo suficiente para que seja feito o diagnóstico precoce e evitar problemas de obstrução. Caso haja preocupação com o desempenho sexual, é recomendo a procura e tratamento de fatores de risco básicos da doença arterial, antes de tomar qualquer medicação.

4- Dor na panturrilha ao caminhar

A aterosclerose pode gerar obstrução nas artérias das pernas antes da doença arterial coronariana ser diagnosticada, especialmente em fumantes. Denominada de claudicação, este sintoma pede urgentemente uma avaliação. Sendo assim, o médico irá aferir medidas simples de pressão arterial e fluxo sanguíneo— além disso, examinar o pulso das pernas também é necessário para comprovar o diagnóstico de má circulação.

É de extrema importância que o diagnóstico mais cedo possível dessas cardiopatias, além disso, existem diversos tratamentos clínicos e nutricionais que possibilitam reverter o problema. Pacientes que seguiram essas primeiras dicas, passaram ter uma dieta mais rica em vegetais e diminuindo os insumos animas, além de retornarem com programas de caminhada. Após essa atitude, as dores desapareceram em poucas semanas e após anos não retornou.

Caso algum desses sintomas se manifeste, é necessária a medida com frequência a pressão arterial, o colesterol e a glicose em jejum. Consulte um médico, a respeito da possibilidade de se fazer um eletrocardiograma. Além disso um tomografia das artérias coronárias, procurando determinar os níveis de cálcio; ou um ecocardiograma com estresse físico.

Fonte: Terra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


CAPTCHA Image
Reload Image