A importância da dosagem do lactato no diagnóstico clínico moderno

0
612
O lactato (Ácido lácteo)  é subproduto da queima da glicose (glicólise), para o fornecimento de energia sem a presença de oxigênio (metabolismo anaeróbico láctico) , altos níveis de lactato no sangue, pode indicar falta de oxigênio (hipoxia) ou a presença de outras doenças/estados clínicos que causam excesso na produção ou retirada insuficiente do lactato do sangue.
Geralmente a dosagem do lactato é solicitada para  indivíduos que apresenta sintomas  como hiperventilação, náuseas e sudorese, que sugerem falta de oxigênio ou desequilíbrio ácido/base. Quando surgir a suspeita de que o paciente apresenta quadros septicemia, choque, infarto agudo do miocárdio, insuficiência cardíaca congestiva grave, insuficiência renal, diabetes não controlada e outros. Quando há  suspeitas de  que o indivíduo apresenta desordem mitocondrial ou metabólica hereditária e também na medicina do esporte , onde teremos um artigo exclusivo para falar sobre o assunto.
A dosagem pode ser feita em sangue venoso (evitar o uso de torniquetes que podem induzir a resultados com falsa alteração), arterial  e líquido cefalorraquidiano(os dois últimos mais usados em urgências e controles hospitalares).

O lactato é um produto do metabolismo celular. Dependendo do pH pode estar presente na forma de ácido láctico. No entanto, com o pH neutro do corpo, a maioria estará presente na forma de lactato.

O lactato é produzido em excesso por células musculares, hemácias, cérebro e outros tecidos quando há oxigênio insuficiente nas células, ou quando a produção de energia das células é interrompida , então este aumento pode configurar qualquer desordem acima citada e sua conexão com o estado patológico suspeito. Em estados normais os níveis de lactato são baixos.

O principal meio de produção de energia no interior das células é a aeróbica , processo que ocorre nas mitocôndrias, estruturas dentro da maioria das células do corpo. Essas estruturas (mitocôndrias), usam glicose e oxigênio na produção de  ATP (adenosina trifosfato), a principal fonte de energia do organismo.

Já o processo anaeróbico é menos eficiente e acontece quando  os níveis de oxigênio celular diminuírem e/ou as mitocôndrias não funcionarem corretamente para metabolizar glicose e produzir ATP. Como principal produto do processo anaeróbico o acido láctico pode ficar acumulado no organismo se esta produção for muito intensa e ou extensa acarretando podendo provocar uma acidose que é o desequilíbrio do balanço  ácido/básico(pH), que pode causar sintomas como hiperventilação, fraqueza muscular, náuseas, vômitos, sudorese e, até mesmo, coma e o óbito.

Acidose láctea é dividida em tipo A, a mais comum, geralmente  provocada por estados clínicos ou patológicos causadoras de redução do fluxo sanguíneo e ou absorção inadequada de O2 pelos pulmões, que tenha como resultado a  diminuição da perfusão tecidual (transporte de oxigênio para os tecidos).

  • Anemia Severa
  • Edema Pulmonar
  • Doenças pulmonares graves.
  • IAM
  • Insuficiência cardíaca congestiva e insuficiência respiratórias graves
  • Choque por trauma ou grande perda sanguínea (hipovolemia)

Quando não há problemas com a liberação de oxigênio e sim com o excesso de demanda de ácido láctico dizemos que é uma Acidose láctea tipo B.Exemplos:

  • AIDS
  • Leucemias
  • Doenças renais e hepáticas
  • Fármacos e toxinas como os salicilatos, cianeto, metanol e metformina
  • Várias doenças mitocondriais e metabólicas hereditárias, que são formas de distrofia muscular e comprometem a produção normal de ATP
  • Diabetes descompensadas
  • Doenças de armazenamento de glicogênio (como deficiência da glicose-6-fosfatase)
  • Exercícios extenuantes, como os praticados por maratonistas.

Hoje a dosagem do lactato é usada em quase todos os serviços  hospitalares e clínicos sendo um marcador valioso para vários estados fisiológicos e patológicos .

Hoje o lactato pode ser usado como marcador inicial na suspeita de septicemia, sendo resultados aumentados considerados padrão ouro no início imediato do tratamento antimicrobiano e como se sabe o sucesso do tratamento é diretamente proporcional ao seu início precoce.

Também a dosagem do lactato de maneira periódica é muito usado para averiguação do sucesso do tratamento.

O exame de lactato no líquor pode ser solicitado junto com o exame de lactato sanguíneo para auxiliar a diferenciar viral e bacteriana, já que geralmente quando há invasão bacteriana no líquor o lactato está aumentado.

Fonte:Muscular Dystroph  Association : Facts About Mitochondrial Myopathies The Body : HIV/AIDS resource , Lactic Acidosis

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui


CAPTCHA Image
Reload Image